Pistas brancas e metas verdes: Como Laax se tornou numa das estâncias de esqui mais ecológicas da Suíça

A parceria da Polestar com o Weisse Arena Group, que gere a estância de esqui de Laax nos Alpes suíços, está no seu segundo ano de existência. Então, decidimos ir ao encontro do responsável pela sustentabilidade, Reto Fry, para falar sobre metas verdes e como manter as nossas pistas brancas face às alterações climáticas.

Claro que precisamos de neve, mas neste momento é a neve que precisa de nós.
Reto Fry, responsável pela sustentabilidade, Weisse Group Arena

À medida que o sol bate nas montanhas cobertas de neve do Glaciar Vorab, os entusiastas dos desportos de inverno dirigem-se para as pistas que rodeiam a estância de esqui suíça em Laax, situada a uma altitude de 3000 metros. Os picos das montanhas estão cobertos de branco, mas no vale a neve deu lugar a um verde cada vez mais marcante.Há apenas vinte anos ainda era possível esquiar e fazer snowboard no Glaciar Vorab no verão, mas agora o gelo está a derreter a ritmo acelerado e espera-se que desapareça até meados deste século. Reto Fry aborda o problema da diminuição da neve com um certo pragmatismo: "Quase três quartos das nossas pistas estão acima dos 2000 metros e, portanto, seguramente têm neve. Mas isso vai mudar rapidamente nos próximos anos", diz ele. Fry suspeita que dentro de aproximadamente dez anos a neve natural só raramente ficará abaixo da linha das árvores, que é o limite do habitat a que as árvores são capazes de crescer.Fazer da sustentabilidade uma prioridade empresarialDado o impacto das alterações climáticas no negócio, a Weisse Arena está a fazer da ação climática uma prioridade essencial no seu modelo de negócio. "O inverno é crucial para a nossa existência aqui em cima. Portanto, quem, se não nós, deveria estabelecer metas climáticas ambiciosas", diz Fry, explicando a força motriz por trás do Greenstyle, o programa de sustentabilidade para Laax. "Claro que precisamos de neve, mas neste momento é a neve que precisa de nós."As ações da empresa para responder aos desafios climáticos e à perda de biodiversidade na região integram-se no programa de sustentabilidade chamado Greenstyle, que foi lançado em 2010. Este programa inclui áreas importantes como energia, água, resíduos, produção e consumo alimentar e biodiversidade, com vista a alcançarem a neutralidade de CO2 o mais tardar em 2030.

ski resorts in Switzerland

Investir no verdePara além de ter um impacto positivo no clima, a Weisse Arena espera também que o programa Greenstyle crie empregos e traga novas oportunidades para as comunidades vizinhas. "Aqui em cima, os efeitos do aquecimento global são muito visíveis, mas também se podem ver as incríveis possibilidades de produção de energia que a natureza das montanhas oferece. Essa é outra motivação para investirmos em práticas ecológicas", declara Fry com entusiasmo. A empresa acredita que o armazenamento e a eficiência energética possuem um enorme potencial para o negócio, pelo que pretende transformar o destino de esqui dependente de combustíveis fósseis para se tornar um produtor de energia renovável regional. Espera-se que tal, por sua vez, crie empregos locais, torne a empresa independente das importações de energia e das flutuações de preços da eletricidade, permitindo-lhes até fornecer energia a outros.Os painéis solares nos telhados da estância também desempenharão um papel importante no futuro. Assim como a construção e renovação com materiais e aquecimento sustentáveis, a utilização de energia fotovoltaica, hídrica e eólica, e o armazenamento eficiente de energia. "Mas o ponto principal é a eficiência", explica Fry, "porque a melhor energia é a que não é necessária de todo".O impacto na vida selvagemO impacto na vida selvagem da região é frequentemente negligenciado quando se trata de turismo e habitantes da natureza. Isto é especialmente verdade no que toca à transição dos combustíveis fósseis para as energias renováveis, observa Fry. É importante que a mudança energética não se faça à custa de outras espécies que vivem na região. "É por isso que sou um grande adepto da energia solar nos telhados e fachadas de edifícios, que não prejudica a natureza nem os seus habitantes", diz Fry. "É nossa obrigação proteger a natureza e a vida selvagem."

Polestar 2 test drive rear view

Pioneiros na mobilidade sustentávelA mobilidade elétrica é desde há muito uma parte importante do programa Greenstyle. Com uma infraestrutura em expansão que atualmente consiste em mais de 50 pontos de carregamento em toda a região de Flims Laax Falera, tem havido um aumento considerável de veículos elétricos nas estradas.É aqui que entra a Polestar. Como parte da parceria com Laax, os veículos Polestar estão a ser utilizados como veículos elétricos de transporte para entregas de alimentos e partilha de carros na região. Os visitantes e os habitantes locais podem também alugar um Polestar 2 no local para o testar em condições de inverno ou nas estradas sinuosas das montanhas."A parceria com a Weisse Arena é uma combinação perfeita", diz Sascha Heiniger, Diretor Executivo da Polestar Suíça. "Ambos temos objetivos climáticos muito ambiciosos e procuramos atingi-los com a mesma paixão". Além disso, também queremos aproximar os nossos clientes do tema da sustentabilidade não como uma cedência, mas como algo que traz valor acrescentado. Tal como a Weisse Arena, também nós confiamos em tecnologias inovadoras e ideias ousadas."O Uber das montanhas - telecabinas a pedidoA Weisse Arena alargou recentemente o conceito de mobilidade sustentável para incluir as telecabinas. Apresentando o FlemXpress, uma forma orientada para a procura e energeticamente eficiente de explorar a paisagem única da região de Sardona, protegida como património mundial da UNESCO.As velhas telecabinas da região serão substituídas por um novo sistema que apresenta o primeiro conceito no mundo de táxi elevatório para teleféricos. Com o FlemXpress, os visitantes em breve poderão percorrer as montanhas a pedido, chamando um teleférico para uma estação elevatória específica. É quase como chamar um Uber, mas para os teleféricos.Em comparação com os sistemas convencionais de telecabinas em que 90% das cabinas circulam vazias, espera-se que o novo sistema "on demand" possa reduzir o número de viagens desnecessárias e a necessidade de manutenção. Por sua vez, tal deverá levar a uma redução do consumo de energia em 50%, de acordo com as estimativas da empresa. 

Polestar 2 in the Swiss alps.

Greenstyle quer inspirarReto Fry e a sua equipa não são os únicos interessados em práticas mais ecológicas. De acordo com Fry, tanto os visitantes como os habitantes locais têm-se envolvido cada vez mais em questões de sustentabilidade nos últimos anos. O programa Greenstyle encoraja, portanto, uma comunicação aberta. "Não comunicamos para fazer branqueamento ecológico ou para nos gabarmos dos nossos projetos, mas para dar ao tema o espaço que merece", diz Fry.Ao abrir o caminho, o objetivo da Weisse Arena é fazer do Greenstyle um movimento que inspire comunidades, turistas e empresas a tornarem-se parte da solução climática. "Só trabalhando em conjunto poderemos transformar estes destinos em lugares onde no futuro possamos desfrutar dos nossos tempos livres com a consciência tranquila", resume Fry, olhando para os picos das montanhas cobertas de neve do Glaciar Vorab.

Relacionado

Tanja Sotka approaching her Polestar 2.

Beyond the Road: Tanja Sotka

Bem-vindo ao terceiro episódio de Beyond the Road, uma série de conteúdos onde destacamos as histórias de proprietários Polestar de todo o mundo. Neste episódio, encontrámo-nos com a agente imobiliária Tanja Sotka nas paisagens remotas e serenas da Lapónia finlandesa, onde ela encontra um refúgio e um propósito.