Polestar e Bcomp: a criação do nosso tecido de interior exclusivo

A indústria automóvel está a atravessar mudanças profundas. As linhas motrizes, a condução autónoma e os sistemas de infotainment estão a transformar por completo o nosso entendimento da mobilidade. Para não ficarem para trás, os designers de interior e os fabricantes de tecidos estão a criar as suas próprias inovações. Estão numa corrida para encontrar materiais que sejam sustentáveis e, ao mesmo tempo, mantenham um toque de exclusividade. No meio dos Alpes suíços, julgamos ter encontrado isso mesmo.

No coração de Friburgo, na Suíça, estava em curso uma revolução silenciosa. A Bcomp, uma empresa fundada em 2011, estava a desenvolver fibras de linho como têxteis de reforço que pareciam estar preparados para redefinir o luxo e o design de forma sustentável. Inicialmente a criar agitação no esqui, onde os seus tecidos de linho melhoravam o desempenho e proporcionavam um amortecimento superior das vibrações, a viagem da Bcomp tomou um rumo inesperado quando a Polestar procurou uma parceria.

A magia estava nos materiais da Bcomp - ampliTex™ e powerRibs™. O primeiro, feito de fibras de linho tecidas, não só reduziu as vibrações e o peso geral, como também criou uma textura visualmente agradável. O segundo, inspirado nas estruturas dos veios das folhas, formou uma estrutura 3D nos painéis, aumentando significativamente a resistência e a rigidez e reduzindo o peso.

"Quando vimos o material pela primeira vez, soubemos que esta tecnologia se alinhava perfeitamente com os objetivos da Polestar", recorda Ross Kelk, Chefe de I&D de Interiores e Líder do Programa Industrial da equipa de desenvolvimento britânica da Polestar. "As nossas empresas partilharam os mesmos objetivos, valores e uma mentalidade comum desde o início."

No entanto, inicialmente, não era claro como e onde o material poderia ser utilizado. E o aspeto visual do material não parecia refletir o luxo nem o desempenho que queríamos para os nossos veículos Polestar. "Juntamente com o departamento de design, experimentámos, brincámos, tentámos coisas diferentes", recorda Ross. Esta abordagem experimental aplicou-se não só ao material, mas a toda a perceção do luxo. "Tradicionalmente, os fabricantes associam o luxo a materiais exclusivos como a pele, o folheado de madeira e muitos acabamentos. No entanto, queríamos colocar o material em primeiro plano com confiança e exibi-lo abertamente. Tornar a sustentabilidade numa experiência palpável e exclusiva."

01/04

"A força de um designer é criar interesse pela escolha certa, a escolha que aponta na direção certa", diz Maria Uggla, Diretora de Cores e Materiais da Polestar. "Todos os materiais têm um potencial oculto para se transformarem numa expressão de luxo e nós ajudamos a revelá-lo."

Esta abordagem conduziu a resultados, uma vez que a equipa de design criou uma nova estética que permite sentir esta fusão de design, minimalismo e sustentabilidade. "Há enormes possibilidades de explorar e criar novas expressões quando se trabalha com novos materiais sustentáveis", continua Maria.

O Polestar Signature Weave, resultado de uma vasta colaboração, foi criado. É um material flexível mas robusto que encontrou o seu lugar nos bancos interiores do Polestar 3. Mas não foi um processo simples.

Foi um período de três anos marcado pelo esforço exaustivo para desenvolver o composto Bcomp numa superfície visível no interior do automóvel. Os desafios eram muitos. O material tinha de funcionar de forma consistente em condições extremas, que iam do calor abrasador ao frio glacial.

O design de trama escolhido foi o resultado de intensivos ensaios e experiências. Uma mistura de tecido de linho de fibra flexível, compósito de fibra natural e powerRibs™, não só reduziu a utilização de plástico, como também contribuiu para a redução do peso. 

Maria Uggla, Head of CMF Design
Close up of Bcomp material
A força de um designer é criar interesse pela escolha certa, a escolha que aponta na direção certa.
Maria Uggla, Diretora de Design de Cores e Materiais

"Houve muitos desafios no desenvolvimento, uma vez que esta é uma nova forma de trabalhar para nós. Uma coisa é ver o tecido, outra coisa completamente diferente é ver o tecido transformado num painel. Foram necessários muitos ensaios, mas depois de analisarmos uma série de variantes, chegámos a um tecido específico, que tem um aspeto fantástico. Mal posso esperar para o ver no automóvel", afirma Maria.

O otimismo em relação ao potencial impacto do projeto na indústria automóvel era evidente. Um resultado bem-sucedido poderia inspirar outros fabricantes de equipamento de origem a adotar materiais sustentáveis semelhantes, estabelecendo novos padrões em matéria de inovação sustentável.

"Para nós, na Polestar, é importante que este seja o produto autêntico. Não se trata de cosmética. É uma melhoria sustentável de um painel interior. Quando desenvolvemos novas soluções de materiais sustentáveis, certificamo-nos de que utilizamos todo o potencial das propriedades dos materiais." afirma Maria.

A estreia do Signature Polestar Weave estava inicialmente prevista para o Polestar 5. No entanto, um processo de desenvolvimento mais rápido e os resultados positivos dos testes de prototipagem permitiram-nos apresentar o material muito mais cedo do que o inicialmente previsto. Mas a viagem não termina aqui. Já estão a ser testadas várias novas aplicações, está a proceder-se à otimização do desempenho e da sustentabilidade, e a ideia de uma economia circular está a ganhar cada vez mais importância.

"Normalmente, o trabalho criativo realiza-se quando se introduz uma nova tecnologia no processo de produção. Na nossa colaboração, é diferente. Utilizamos os conhecimentos do processo de produção para novas abordagens e ideias criativas. Pensamos em gerações, por assim dizer", diz Ross.

Relacionado

Polestar 3 under modern structure

Um carro grande, uma pegada mais pequena - porque é que o Polestar 3 está a mudar a forma como vemos os SUV

Não é surpresa que os SUV estão em todo o lado. Como um dos modelos de automóvel mais vendidos em todo o mundo, o prático e versátil SUV (Sports Utility Vehicle, ou seja, veículo utilitário desportivo) tem muito que se lhe diga. Seja para levar os miúdos aos treinos de futebol ou para percorrer passagens de montanha fora de estrada na Ásia Central, em qualquer lugar, destino e ocupação não há melhor do que estes veículos grandes, práticos e seguros. Mas a popularidade dos SUV tem um preço. Porque o tipo de automóvel preferido do mundo é, justamente, um dos que mais contribuem para as emissões de CO2e.