Pensar em tabus com o artista belga Thibeau Scarcériaux

O design está por todo o lado. Há o bom design e o mau design. E ainda há o design que nos faz pensar. Através do seu trabalho, o artista funcional belga Thibeau Scarcériaux explora o poder de pôr as pessoas a pensar e a falar de assuntos tabu.

Three of Thibeau Scarcériaux's designs.
O ponto ideal entre a arte e o design

Nos arredores de Antuérpia, Thibeau trabalha num quartel de bombeiros abandonado, cuja demolição está prevista para 2025. É o estúdio perfeito para um artista em ascensão. Mas, atualmente, o espaço está preenchido com mobiliário dos anos 70, bicicletas penduradas, radiografias, saídas de ar revestidas a alumínio e centenas de peças de vidro.

A carreira de Thibeau levou-o a passar por várias disciplinas de design, como o design de produtos industriais e o design de mobiliário, fazendo-o chegar ao ponto ideal entre o design e a arte.

"Na minha opinião, há uma linha ténue entre a arte e o design. Gosto de ambos e, por isso, o meu trabalho situa-se entre os dois. Quero criar peças únicas que sejam funcionais, mas que tenham essa qualidade artesanal e artística", comenta.

Quando Thibeau começa a trabalhar num objeto, a maior parte da criação já aconteceu na sua mente. Algumas das ideias que tem ficam a maturar no seu laboratório de pensamentos durante meses a fio ou até mesmo anos, antes de se transformarem em algo palpável.

"Em termos de tempo, passo cerca de 90% a pensar na história de um objeto e depois 10% a criar a peça. É mais uma questão de pensar em como algo vai viver e menos sobre como o fazer", comenta. "É um processo estranho. Por vezes, demora uma semana no total. Outras vezes, demora anos."

Designer Thibeau Scarcériaux's studio.
Profile of designer Thibeau Scarcériaux.
A arte cria um caminho para falar em tabus.
Thibeau Scarcériaux, designer funcional e artista
Pensar em fazer coisas e fazer coisas para pensar

Thibeau é fascinado pelo conceito de tabu. A maioria das suas peças explora os aspetos sociais, culturais ou económicos de um assunto tabu. Através dessa reflexão, pretende criar um diálogo entre o seu trabalho e o público. Ou sempre que possível, entre ele e o público.

"A arte cria um caminho para falar em tabus. Os objetos criam um momento de conversa entre o público e o artista. Na verdade, trata-se mais da conversa em torno da obra de arte do que do objeto em si", explica. 

Uma das suas últimas peças, a War Chair, é um exemplo de uma peça que foi muito pensada e que suscita reflexão.

Profundamente afetado pela guerra entre a Ucrânia e a Rússia, Thibeau criou uma cadeira em vidro à prova de bala sem ligações visíveis, dando à cadeira uma qualidade ininterrupta. No entanto, esta perfeição é quebrada pelas marcas de balas, que estilhaçaram o vidro em vários sítios, para representar a fragilidade da guerra. A obra de arte pretende levar o público a refletir sobre a destruição física e emocional da guerra e as cicatrizes invisíveis que esta deixa nos indivíduos e nas sociedades.

A ideia resultou. Thibeau não tem tido falta de pessoas a querer discutir tabus com ele. "Não estamos a falar de conversas de um minuto. Há conversas que demoram até 20 minutos. As pessoas têm muito a dizer sobre coisas assim", diz Thibeau. "Penso que é muito importante criar esse espaço de diálogo. É o que une as pessoas."

The War Chair by designer Thibeau Scarcériaux.
Feiras de usados inspiradoras

Na maioria das vezes, Thibeau pensa num tabu ou num conceito durante muito tempo antes de o concretizar. Outras vezes, o material surge primeiro e a ideia depois.

Thibeau visita regularmente as feiras de usados para se inspirar e para se abastecer para as coleções. Porque ele é um colecionador de coisas. Coisas como vidros e radiografias, que podem um dia inspirá-lo a fazer algo com significado. 

Durante algum tempo, o espaço dele esteve preenchido com 2000 metros quadrados de radiografias de partes do corpo humano que encontrou numa feira de velharias. (uma típica feira de usados belga, garante). Mais tarde, estas peças transformaram-se na coleção "x-race", uma série de objetos que convidam o público a refletir sobre a questão do racismo, inspirada no movimento Black Lives Matter.

Para a sua exposição no Polestar Space, em Bruxelas, o artista não poupou esforços.

Designer Thibeau Scarcériaux's designs in the Polestar Space in Brussels.
Polestar Gallery - uma plataforma para criadores locais

Para artistas e designers, a criação é apenas metade do desafio. Há muita arte que nunca encontra a plataforma que merece. A Polestar propôs-se mudar isso.

Este outono, os nossos Polestar Spaces em Bruxelas, Antuérpia, Ghent e Hasselt, abrem as portas a designers locais de várias disciplinas para mostrarem os seus últimos projetos.

"Proporcionando aos designers uma plataforma para as suas criações, esperamos catalisar ideias inovadoras que não só inspirem como também ultrapassem os limites", comenta Femke Brouns, Diretora de Marketing, Relações Públicas e Eventos da Polestar Bélgica. "Esta iniciativa também reafirma a força de capacitação da colaboração como um meio de promover mudanças significativas."

Thibeau é o primeiro a lançar a sua contribuição denominada "Reflective Vision". Feita de vidro reciclado e espelhos, a instalação dá forma a um mundo onde a expressão artística e a consciência ambiental andam de mãos dadas. A criação não só dá nova vida a estes materiais, como também convida à introspeção e à transparência.

Se estiver em Bruxelas este outono, a exposição "Polestar Gallery x Thibeau Scarcériaux: Reflective Visions" está patente de 25 de outubro a 21 de novembro no Polestar Space de Bruxelas.

Pense nisso.

Relacionado

Tanja Sotka approaching her Polestar 2.

Beyond the Road: Tanja Sotka

Bem-vindo ao terceiro episódio de Beyond the Road, uma série de conteúdos onde destacamos as histórias de proprietários Polestar de todo o mundo. Neste episódio, encontrámo-nos com a agente imobiliária Tanja Sotka nas paisagens remotas e serenas da Lapónia finlandesa, onde ela encontra um refúgio e um propósito.