Condução elétrica

Condução elétrica
Fatores que afetam a autonomia

A autonomia de um VE no mundo real depende do próprio veículo, do estilo de condução, da meteorologia e das condições da estrada. Em viagens longas é vantajoso saber como estes fatores influenciam o consumo de energia.

A autonomia de um VE no mundo real depende do próprio veículo, do estilo de condução, da meteorologia e das condições da estrada. Em viagens longas é vantajoso saber como estes fatores influenciam o consumo de energia.

  • O veículo propriamente dito

    O peso total, a escolha dos pneus, o estado dos pneus e a climatização, tudo afeta os quilómetros que pode fazer com uma bateria totalmente carregada (ou um depósito de combustível, já agora). Aplica-se o mesmo quanto à montagem de uma caixa de bagagem no tejadilho ou rebocar um atrelado. Quanto menos potência for usada para contrapor a resistência ao rolamento ou diferenças de temperatura, mais energia pode ser transformada em movimento.

  • Meteorologia e condições da estrada

    O vento, a temperatura exterior e o piso da estrada influenciam a energia necessária para a propulsão de um VE. O tempo frio, por exemplo, faz com que a bateria trabalhe mais e pode diminuir a eficiência do grupo propulsor conforme a utilização do controlo da climatização. No entanto, pré-aquecer o veículo enquanto está a carregar, efetivamente faz aumentar a autonomia.

  • Condução

    Acelerar a fundo e satisfazer a necessidade de velocidade pode ser muito tentador, especialmente com a potência imediata de um veículo elétrico à sua disposição. No entanto, uma atitude mais calma ao volante garante uma maior autonomia.

Polestar © 2022 Todos os direitos reservados
Alterar localização: